quarta-feira, 25 de junho de 2014

Será que Criticar Construtivamente é Destruir?



Quem é interessado na etnografia e folclore é minimamente conhecedor dos usos e costumes e tradições dos nossos antepassados e sabe ver o que é verdade e o que é mentira e o que é invenção.

Ma ultimamente quem critica construtivamente é algo de injurias ameaças e sabe-se lá quantas mais coisas e isso leva que muita boa gente se cale e até faça tabu disso, pois parecem que têem medo de criticar o que está mal e o que são invenções será que isso é correto? Será que se devem remeter ao silencio e não devem esclarecer quem anda no folclore com gosto e que que pretende no seu rancho ou grupo ter uma melhor representatividade dos tempos dos nossos antepassados?

Achamos que  quem gosta de uma boa representação não se deve remeter ao silencio. Devemos denunciar tudo o que é mentira e aldrabi-se e esclarecer a verdade. Mas também temos de o fazer com criticas construtivas e não de deita abaixo e com arrogância,  porque assim não vamos conseguir trazer essas pessoas interessadas para  o lado da verdade, mas por outro lado sabemos que também há gente que não aceita essas criticas esses devemos logo isola-los porque são ervas daninhas que se tentam espalhar pelo movimento folclórico. Como todos sabem há uma grande percentagem de jovens no movimento folclórico e se não lidamos bem com eles e lhes não transmitir a verdade corremos o risco de os perder quando saberem a verdade, por isso urge lhes transmitir o que eram as vivências dos nossos antepassados e não lhes passar mentiras, porque muitos jovens se questionam já, se nos tempos passados só se cantava e dançava e pouco se trabalhava e se haviam  tantos adornos,  muito ouro, pincs nas mulheres e nos homens, pulseiras de ouro e plásticas relógios de pulso e enfeites e se usavam sapatilhas etc…

 Assim como nas mulheres unhas e olhos pintados e cabelos soltos e sapatos de pano e enfeites etc…

 Pois tem-se visto isto em certos agrupamentos que se dizem folclóricos.


Por isso ai temos de denunciar essas mentiras e essas aberrações que trazem a vergonha e mentira a etnografia e folclore.

 Ai não deve haver tabus nem encobrimentos é dever de quem gosta da divulgação das vivências dos nossos antepassados denunciar energicamente essas mentiras e invenções claro com responsabilidade e educação para que consigamos recuperar muita dessa gente boa que anda nesses grupos e que tem boas intenções mas  por desconhecimento e pouca pesquisa que fazem mantêm essas mentiras ignorando a verdade.



 Certo que com esta minha opinião estarei a  dar o meu contributo para uma boa representação dos grupos e ranchos folclóricos e para  que seja uma forma de cativar e trazer os jovens ao movimento folclórico e inseri-los com verdade e conhecimento, pois só assim a Etnografia e Folclore terá um lugar digno na nossa cultura  que tantas vezes vemos ela a ser  enxovalhada.

2 comentários:

Dentro das Marcas disse...

Por alguma razão cada vez é mais escasso o bom folclore. E quando se tenta fazer com que se melhore, somos alvo de críticas como ''pensa que sabe''. O folclore é muito mais do que se vê, e para ser bom é preciso muito conhecimento!

Dentro das Marcas disse...

Por alguma razão cada vez é mais escasso o bom folclore. E quando se tenta fazer com que se melhore, somos alvo de críticas como ''pensa que sabe''. O folclore é muito mais do que se vê, e para ser bom é preciso muito conhecimento!