quarta-feira, 26 de agosto de 2015

A Religiosidade do Povo e o Folclore em Portugal




Com o devido respeito e de uma forma pedagógica, aqui reproduzo, para um melhor entendimento dos usos e costumes de então:
Esta imagem retracta com clareza uma missa do século passado.
O mobiliário da Igreja não contemplava bancos para o povo, quem tinha o seu banquinho próprio deixava-o na igreja.

A disposição de género era mesmo assim, , os homens estavam sempre com a cabeça descoberta, enquanto a mulher tinha de estar eximiamente com a cabeça coberta, até a mais nova rapariga entrava de cabeça coberta. Os tons usados da roupa para ver a Deus eram sobretudo escuros, não se vendo saias claras, nem xailes coloridos, pois na Igreja pretendia-se recato para a penitência e não luxúria nem extravagâncias.

 As missas eram em Latim, a Doutrina pós-Concílio de Trento. Qualquer interessado, e pessoa que se devote à pesquisa da essência do nosso povo não pode, nunca esquecer toda uma Doutrina, e influências religiosas que moldaram o viver do nosso povo durante séculos. Serve então este texto  para alertar para isso mesmo: não só alertar para o que havia de 'religiosidade popular' mas também quais eram os ensinamentos, Doutrina e funcionamento da Igreja à época. Folclore também é o estudo e divulgação da religiosidade ancestral do nosso povo.


 A representação histórica da cultura do nosso povo é fundamental para percebermos as nossas raízes, a nossa identidade. Somos assim porque nascemos assim, porque o nosso povo nos ensinou a ser assim, porque os nossos pais, os nossos avós nos transmitiram crenças e valores e nos apontaram caminhos. 
Daí que os grupos de folclore tenham uma missão e essa missão deve ser respeitada. Ao ser envergado, um trajo tem um significado, um valor intrínseco, pelo que os componentes que o vestem estão a representar uma época, uma personagem, uma cultura, um modo de pensar, de agir, de sentir. Há coisas boas e más no passado. Mas todos temos uma ligação com ele. A Igreja também tem fortes ligações com o passado. A história é económica, é cultural, é social, mas também é religiosa .

2 comentários:

trajar do povo disse...

Fonte do texto aqui citado ,pagina do facebook
A religiosidade do povo em Portugal. Artigo sobre a fotografia da autoria de Gil Raro

trajar do povo disse...

Fonte do texto aqui citado ,pagina do facebook
A religiosidade do povo em Portugal. Artigo sobre a fotografia da autoria de Gil Raro